Acompanhe também as nossas redes sociais

Cidades

Morte de jovem de 27 anos causa revolta e família acusa hospital de negligência médica, em Jussara

Alex foi três vezes a emergência do centro de saúde reclamando de dores no peito e médico disse que sintomas eram causados por stress.

Publicado

em

Alex Rodrigues de Souza deixa mulher e uma enteada, de 4 anos | Foto: Arquivo pessoal

Familiares do mecânico Alex Rodrigues de Souza, de 27 anos, que morreu na noite deste sábado (21), acusam o Hospital Municipal Dr. Abiud Ponciano Dias, de Jussara, de negligência médica. O jovem, de acordo com a família, foi três vezes ao centro de saúde, mas ontem não resistiu e morreu durante o atendimento da equipe hospitalar.

Segundo a esposa do jovem, Rafaela Calassa, o mecânico começou a sentir fraqueza e dores no peito no final do mês de junho. Ele foi ao hospital e um dos médicos de plantão disse a ele que os sintomas eram causados por stress. O homem foi medicado e voltou para casa.

Como os sintomas não desapareceram, Alex e a esposa foram a outro médico, que passou uma série de exames que diagnosticaram reumatismo e anemia. Na ocasião, também foi feita uma avaliação de ansiedade, que deu negativa, e foi pedido mais exames, pois o mecânico também suava muito e começou a perder peso, e a hipótese era de que pudesse ser hipertiroidismo. “Ele estava amarelo, o batimento dele ficava em 117 e ele emagreceu muito. Emagreceu 18 quilos em menos de um mês”, conta Rafaela.

Os exames também deram negativo para hipertiroidismo e Alex continuou a piorar. Rafaela diz que voltou com ele outras duas vezes na emergência do hospital municipal e ele estava com os mesmos sintomas, e novamente foi diagnósticado como stress. “Ele falava que meu esposo tinha encucado com o coração, que ele não tinha nada, que era nervosismo.”

Sem melhora, Alex então decidiu fazer um exame detalhado do coração pela rede particular de Saúde na última sexta-feira(20). “O resultado ia sair na terça feira, porque ele teve que fazer particular porque o hospital não fez nada por ele, deixou ele morrer. No outro dia, no sábado, eu estranhei porque ele acordou tarde, aí ele almoçou e começou a vomitar”, relata a esposa.

O mecânico foi levado novamente para a emergência do hospital municipal onde foi atendido por médicos e enfermeiros. Segundo Rafaela, a equipe ministrou medicação e mandou Alex para casa, mesmo ele suando muito e reclamando de dor no peito. Contudo, ele mal saiu do local e começou a perder a visão, momento em que a esposa retornou com ele ao hospital. A equipe então colocou soro no jovem e o médico voltou a afirmar que era por conta de nervosismo, diz Rafaela. “Aí meu esposo parou. Ele estava tendo um ataque cardíaco, só então o médico pediu uma ambulância para levar ele pra Goiânia, mas não deu tempo e ele morreu no hospital.”

Os familiares ficaram ainda mais indignados porque nenhum dos dois médicos que atenderam Alex conversaram com a esposa e a família que estava no local. Revoltada, Rafaela chegou a chutar uma porta do hospital porque queria informações sobre a morte do marido e a polícia então foi chamada para conter a mulher.

Nesta segunda-feira (23), os familiares de Alex estão organizando uma manifestação em frente à Câmara Municipal de Jussara a partir das 14 horas. Eles pretendem mostrar a sua indignação e cobrar melhorias na Saúde do município.

Outro lado
A direção do hospital informou que Alex foi prontamente atendido pela equipe médica e que foram feitos todos os procedimentos necessários. Contudo, o centro de saúde só irá se manifestar sobre o morte do paciente após a divulgação do exame cadavérico do Serviço de Verificação de Óbito (SVO) de Goiânia.

Continue lendo

Em Goiás

Sugira uma pauta

É expressamente proibido a utilização do conteúdo aqui publicado em mídias on-line ou impressas. Diário do Interior | Todos os direitos reservados.