Acompanhe também as nossas redes sociais

Cidades

Menino é achado morto em monte de entulho em chamas, em Piranhas

Polícia trata caso como morte a esclarecer, mas não descarta que criança tenha sido assassinada e jogada na fogueira, pois depende do resultado de laudos da Polícia Técnico-Científica.

Publicado

em

O menino Alexandre Coutrim Rodrigues, de 2 anos, foi encontrado morto sobre um entulho em chamas, em uma fazenda de Piranhas, na região oeste de Goiás. A Polícia Civil investiga o caso.

“Por enquanto, tratamos como morte a esclarecer, mas dependemos dos laudos da Polícia Técnico-Científica, pois pode ter ocorrido um homicídio”, disse o delegado responsável pelo caso, Ramon Queiroz da Silva.

O caso aconteceu no domingo (25), na fazenda em que o menino morava com os pais e dois irmãos. De acordo com a polícia, a mãe, Adriana Coutrim Moreira, acionou a Polícia Militar e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) dizendo que o filho havia morrido na fogueira.

A mulher alegou à polícia que o acidente aconteceu em um momento de descuido. O pai, Edmário Rodrigues Luciano, não estava na casa no momento da confusão.

“Ela disse que colocou o fogo no monte de folhas e entulho, se distraiu, foi pra dentro casa. Outro filho viu o irmão na fogueira e a chamou. Ela falou que não conseguiu socorrer e já ligou para o Samu e PM”, relatou o delegado.

Para Silva, causa estranheza o fato de que, quando a equipe de resgate chegou, o menino ainda estava em meio ao material queimado. “Estranho porque a criança teria tentado se debater por causa das chamas, a mãe poderia ter aliviado de alguma forma. É uma história bastante confusa”, opinou.

O corpo do menino foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) de Iporá. A equipe que trabalha na unidade informou que apenas a gestora do núcleo, Ercimar Vieira Rodrigues, poderia passar informações sobre o caso. Porém, ela não estava na unidade.

Continue lendo

Em Goiás

Sugira uma pauta

É expressamente proibido a utilização do conteúdo aqui publicado em mídias on-line ou impressas. Diário do Interior | Todos os direitos reservados.