Acompanhe também as nossas redes sociais

Saúde

Concluída há quase dois anos, UPA de Iporá permanece de portas fechadas e sem previsão para inicio dos atendimentos

Publicado

em

Mesmo tendo sido uma das principais bandeiras levantadas pela coligação que elegeu o atual prefeito de Iporá em 2012, UPA permanece sem previsão para iniciar os atendimentos

Sem equipamentos, equipe de funcionários e previsão para inicio dos atendimentos, a Unidade de Pronto Atendimento de Iporá (UPA) completou neste mês de junho, quase dois anos que todas as obras de estrutura física da unidade foram concluídas e inauguradas. Construída com investimentos federal e municipal, no valor de R$ 1,4 milhões, a unidade de saúde que foi projetada para atender até 150 pacientes por dia, permanece fechada e sem data para funcionamento.

O inicio dos atendimentos da unidade, que durante as eleições de 2012, se tornou uma das principais bandeiras e promessas de campanha da Coligação que elegeu o atual Prefeito de Iporá, Danilo Gleic (PSDB), mesmo após um ano e seis meses da nova administração, permanece sem qualquer previsão de serem iniciados. O prédio, chegou a ser inaugurado em novembro de 2012 pelo ex-prefeito, José Antônio (PMDB), Porém, até o momento, não foram adquiridos nem mesmo os equipamentos necessários para equipar a unidade médica, avaliados em cerca de R$ 250 mil reais.

Muito mato e sujeira tomam conta do local. (foto tirada no último domingo)

Apesar do alto valor gasto para a construção do prédio, que na época, ultrapassaram os  R$ 1,4 milhões de reais e a longa espera para o inicio dos atendimentos, até o momento, não houve por parte dos vereadores de Iporá, ou do Ministério Público de Goiás, divulgação da realização de qualquer processo ou ação que vise investigar as razões que impossibilitam o funcionamento da unidade médica, que foi projetada atender 24 horas por dia durante todos os dias da semana, casos de emergência, fazendo assim, com que apenas casos graves sejam transferidos para Goiânia, diminuindo a demanda de pacientes da região transferidos para unidades médicas da capital.

Prefeito e grupo dos 7 vereadores que dão sustentação a administração de Danilo em frente a UPA. Matéria publicada em março destacava que compra dos equipamentos seria agilizada (foto/Prefeitura de Iporá)

Em março deste ano, a Prefeitura de Iporá, divulgou que juntamente com os sete vereadores que compõem a base do prefeito na Câmara, estariam se mobilizando para providenciar a realização de uma licitação para a compra dos equipamentos necessários para o funcionamento da UPA. Porém, apesar da grande divulgação realizada no município e na região, três meses depois, ainda não foi publicado qualquer documento sobre o processo licitatório no portal da transparência do município.  Assim como aconteceu em junho de 2013, quando Danilo Gleic, divulgou em um jornal, que a UPA seria inaugurada até o mês de agosto daquele ano, e, no entanto, nunca foi divulgado qualquer processo licitatório para a compra dos equipamentos, que segundo a Secretária de Saúde de Iporá, Daniela Sallum, é um dos principais motivos que ainda forçam a UPA a permanecer com as portas fechadas.

UPA de Iporá recebeu R$ 350 mil reais do Ministério da Saúde em 2013

Apesar da Unidade de Pronto Atendimento de Iporá  estar fechada, consta no Portal da Transparência do Fundo Nacional de Saúde, um repasse para o município de Iporá no valor de R$ 350 mil reais, quantia essa que de acordo com o Ministério da Saúde deve ser aplicado no programa de assistência farmacêutica básica da Unidade De Pronto Atendimento – UPA de Iporá. De acordo com o órgão, o repasse do valor para o Fundo Municipal de Saúde de Iporá foi realizado no dia 13 de Setembro de 2013.

De acordo com publicação, pagamento foi correspondente a programa de assistência farmacêutica básica

De acordo com publicação, pagamento foi correspondente a programa de assistência farmacêutica básica

Importância da UPA para Iporá e região

O funcionamento do UPA, deverá contribuir para diminuir as internações em hospitais de Iporá e Goiânia, devido a ampliação de atendimento e especialidades médicas, fazendo com que apenas os casos graves sejam transferidos para centros de referência de média e alta complexidade, diminuindo a demanda de pacientes em unidades como o Hospital Urgências de Goiânia (HUGO).

Prédio sem manutenções

Fotos tiradas no último domingo (1)

Fechado, o prédio da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) já começa a ser alvo de vandalismo e de ações do próprio tempo. Construído entre duas ruas movimentadas do Bairro Mato Grosso, o prédio divide a opinião de moradores próximos ao local. Em uma das ruas laterais em que foi construído o prédio, a construção ocupou quase toda a calçada, deixando os pedestres sem espaço para transitar com segurança no local.  A falta de corte da grama e de limpeza da área, é outro problema que já começa a deixar o local com aspecto de abandono.  

Manifestação pelo funcionamento da UPA reuniu mais de 400 pessoas em Iporá

Mais de 400 pessoas se uniram e caminharam pelas ruas da cidade cobrando o inicio dos atendimentos da unidade, em junho de 2013

Mais de 400 pessoas se uniram e caminharam pelas ruas da cidade cobrando o inicio dos atendimentos da unidade, em junho de 2013

Cerca de 400 pessoas, se reuniram em junho de 2013 para cobrar o funcionamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA). A manifestação que saiu do Lago
Por do Sol e percorreu as principais ruas da cidade,  teve como ponto final a UPA, onde diversos cartazes utilizados na manifestação foram colados na entrada da unidade. Porém, apesar de toda a movimentação e o clamor diário da população nas redes sociais, pelo inicio do atendimentos, até o momento, o que se tem visto da classe política em Iporá, são ações em busca de publicidade. Enquanto a unidade que  é tida como uma das solução para os atendimentos de emergência na Região Oeste de Goiás, o que amenizaria o sofrimento e daria agilidade ao atendimento de pacientes não só de Iporá, mas de toda a região, permanece de portas fechadas.             

Continue lendo

Em Goiás

Sugira uma pauta

É expressamente proibido a utilização do conteúdo aqui publicado em mídias on-line ou impressas. Diário do Interior | Todos os direitos reservados.